domingo, 30 de setembro de 2018

ESSA É A ELEIÇÃO DOS INFLUENCIADORES DIGITAIS


Diante do crescente desprezo das pessoas pela televisão, ocupar espaço na internet tem sido fundamental para que figuras públicas obtenham sua marca e seu nome lembrado pela população.

Nas eleições não poderia ser diferente, a internet já se tornou espaço certo para os candidatos divulgarem suas ações. As campanhas estão cada vez mais digitais, o que faz com que o tempo de TV seja ocupado de forma apenas a manter um tradicionalismo que custa caro aos cofres públicos. 

As campanhas presidenciais de Bolsonaro, Marina, Ciro, Almoêdo e seus números nas pesquisas, comparado a campanha de Geraldo Alckmin, que tem o maior tempo de TV, mostra que a TV perdeu seu espaço na formação do voto.

E os influenciadores digitais são a bola da vez por obterem alcance expressivo de massa, com um grande número de seguidores e que, por isso, são capazes de influenciar os hábitos de consumo. 

Por isso as empresas tem preferido a internet para a divulgação, substituindo a cara e ineficaz propaganda de TV. O retorno com a internet e com o perfil certo que faz a divulgação, pode trazer rapidamente a popularidade que a pessoa ou marca procuram.

Nessas eleições, os influenciadores digitais também têm aparecido para atos de campanha e propaganda política. Carlinhos Maia, o mais famoso e com mais de 10 milhões de seguidores no Instagram, apareceu junto com o candidato ao Senado Maurício Quintella. 

O candidato a reeleição, deputado JHC, também tem aparecido junto com Carlinhos e toda a turma da vila. 


Pela primeira vez candidato a deputado estadual, Breno Albuquerque também tem influenciador, já apareceu com Carlinhos Maia e sempre aparace com Rey Costa, amigo de Carlinhos Maia, que tem mais de 1 milhão de seguidores.


Evidentemente não especulo a prática de crime eleitoral, não é isso, a questão é quão importante é a responsabilidade do digital influencer em sugerir nomes na política. Se parte do principio de acreditar nas propostas e ações do candidato ou simplesmente por amizade e simpatia, ou por participar de bolhas e grupinhos que regulam a opinião divergente.

É indiscutível a participação dos influenciadores, que hoje atuam como artistas de TV, e tem grande responsabilidade com o processo eleitoral, onde infelizmente o assunto se encerra em seus stories logo após o resultado das eleições. Esse foi só para mostrar alguns exemplos, tem diversos outros casos, não só aqui em Alagoas.

Dessa forma, vê-se que a mudança nos meios de propaganda estão acontecendo, resta aguardar o resultado das urnas e ver o quanto eles conseguem de fato influenciar nessas eleições.

Estou no Twitter: @vanildoneto
                             @BlogPoliticaAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário