domingo, 18 de março de 2018

RUI PALMEIRA EVAPOROU A OPOSIÇÃO EM 2018


Muito se falou nessa semana sobre a desistência do prefeito de Maceió, Rui Palmeira, em disputar o governo de Alagoas. Na verdade Rui entrou nessa pela boca dos outros, principalmente dos que frequentam o Palácio dos Martírios, Rui nunca tinha externado essa possibilidade publicamente, mas desde antes da sua reeleição o grupo do governador Renan Filho entrou forte tentando eleger Cícero Almeida como prefeito de Maceió para assim tentar enfraquecer o nome de Rui Palmeira para a disputa em 2018, que lá em 2016 já preocupava e tirava o sono de alguns governistas.

Rui foi reeleito ainda em primeiro turno, desde então começou a ser criticado massivamente, a cada passo que em falso que dava em Maceió uma chuva de críticas estariam borbulhando pelas redes sociais. Em verdade o prefeito de Maceió por muitas vezes fez por merecer as críticas, também já as fiz e continuo a fazer quando age de forma que considero errada, e ele tem feito muito isso, principalmente no seu segundo mandato, um prato cheio para a oposição.

A desistência de Rui deixou como certa a reeleição de Renan Filho por W.O, e abriu uma discussão de que esse cenário seria ruim para a democracia. Concordo, mas a culpa dessa situação é da própria oposição que não viabilizou nenhum outro nome que disputasse com Renan Filho a preferência dos alagoanos.

Renan Filho já corria bem na frente mesmo com Rui Palmeira especulado como seu adversário, porque faz um mandato consistente, de reconstrução, com as contas do Estado equilibradas e sobretudo na gestão da segurança pública, onde seu antecessor Teotônio Vilela - do mesmo PSDB de Rui - deixara um caos, e Renan Filho conseguiu números positivos principalmente com a ajuda de Alfredo Gaspar de Mendonça como seu secretário de segurança, no início do seu mandato.

Uma coisa é certa, o vácuo que a desistência de Rui Palmeira deixou na disputa desse ano, deixa Renan Filho sem concorrentes com tamanha envergadura política que ameace a sua reeleição, isso é triste para Alagoas, isso mostra o déficit de bons nomes que temos no quadro político no estado.

Pelo menos esse cenário devolveu a paz aos assessores do governador, que vão poder parar de criticar Rui Palmeira, que também ganhará paz, deixa de ser o bonequinho de vodu de alguns governistas, acabarão as críticas a sua gestão, e se Rui declarar apoio a Renan Filho, aí vira até o melhor prefeito que Maceió já teve. Coisa do oportunismo político tão comum por aqui.

Agora com a oposição fragmentada e sem nenhuma opção viável, Biu de Lira, Maurício Quintella, dentre outros, ficaram à deriva, agora é cada um por si, que procure um teto que lhe dê sombra e garanta mais quatro anos de mandato.

Estou no Twitter: @vanildoneto
                             @BlogPoliticaAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário