segunda-feira, 5 de junho de 2017

CANDIDATURA DE BOLSONARO JÁ É UMA REALIDADE


Quer você goste ou não, concorde ou não, é indiscutível que a cada dia o nome do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) cresce para a disputa da Presidência em 2018.  Muitos ainda rechaçam essa possibilidade, analistas dos mais conceituados portais de notícias acreditam que até lá Jair Bolsonaro não aguente a fritura, esses analistas são os mesmos que davam a certeza que Donald Trump sequer sairia candidato a Presidente do Estados Unidos, e vejam só o resultado. As recentes pesquisas de intenção de voto mostram o crescimento e fortalecimento do nome do deputado carioca, o colocando em 2º em quase todos os cenários.

Muito desse fortalecimento se dá por conta de uma militância engajada e espontânea que cresce cada vez mais pelas redes sociais ao redor de Bolsonaro, o que facilita a comunicação e contraponto de notícias muitas vezes distorcidas pela grande mídia, e principalmente, pela aquela mídia de esquerda que não tem mais vergonha de inflar demagogia e destilar sua desinformação para o seu público.

Outro fator importante é a total desconfiança que a classe política transmite quase como um todo, onde é quase unanime o envolvimento do nosso Congresso Nacional em escândalos de corrupção. Corrupção essa que ninguém consegue acusar Bolsonaro, sendo esse o seu principal discurso e dos seus apoiadores para 2018.

Bolsonaro que vive cercado por polêmicas e defende ferrenhamente os governos militares, acredita e propaga que não houve ditadura de 1964 a 1985 e que o Brasil se livrou a ditadura comunista nesse período graças a intervenção das Forças Armadas que durou 21 anos.

As redes sociais tem sido uma grande aliada, as páginas de apoio a candidatura de Bolsonaro bombam na internet pela forma "zueira" que levam suas abordagens, ferrenho crítico da patrulha do politicamente correto e vitimismo de muitos movimentos sociais, mostram a incoerência dos adversários e desonestidade intelectual quando o acusam de algo. Quanto mais o perseguem mais tem crescido o apoio ao seu nome.

Os adversários não entenderam ainda que quanto mais terrorismo fizerem com o nome de Bolsonaro mais ele crescerá, o exemplo dos EUA não é absurdo e deve sim ser levado em consideração.

O que Bolsonaro ainda não entendeu é que qualquer comentário, piada, ou opinião por mais banal que ele ache que seja, terá proporções incalculáveis, positivas e negativas, e que será usado contra ele. Sua pré-campanha, mesmo que ele diga que ainda não esteja em uma, age de forma amadora, sem propostas reais para o futuro do país, o vejo apenas repetindo o clichês que já vemos diariamente na internet.

Aliás por muitas vezes Bolsonaro se comporta como um adolescente mimado, sem saber contrapor quando interpelado, e tende a perder para ele mesmo em 2018.

Seu grande desafio antes ainda da campanha é conseguir um partido que sustente sua candidatura, tendo em vista que o PSC não lhe passa segurança para isso, e com quais alianças se cercará para fortalecer sua candidatura.

Um dos apoiadores do Deputado em recente entrevista soltou uma frase que faz muito sentido: "Modéstia à parte, se não fossem as redes, hoje ele seria um Enéas (Carneiro, ex-deputado morto em 2007) da vida".

Os tempos mudaram, a política brasileira também tem mudado e de 2013 pra cá, nada deve ser considerado óbvio, principalmente por aqui, mas o país ainda é muito maior e muito mais profundo que as redes sociais.

Estou no Twitter: @vanildoneto
                              @BlogPoliticaAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário