quinta-feira, 20 de agosto de 2015

RENAN(S) E A ARTE DE UNIR GREGOS E TROIANOS


Política é arte de unir o maior número de aliados possível em torno de um projeto de governo. Renan Calheiros e Renan Filho demonstram fazer isso com a maestria de poucos.

O Senador Renan Calheiros dispensa apresentações, conseguiu voltar a presidência do Senado após renunciar em 2007 sendo acusado de receber dinheiro de lobistas. Reeleito senador, foi escolhido novamente para a presidência em 2013. Na época da sua eleição, o jornalista Ricardo Mota sintetizou bem aquele momento:

"Renan Conhece os sonhos e descaminhos de cada um, e é a eles a quem vai servir (...) Sua vitória pode assim ser traduzida: pior para o Senado, melhor para os senadores."

Nas eleições de 2014, Renan Calheiros conduziu do início ao fim os acordos em torno do apoio ao nome de seu filho, Renan Filho, para o Governo de Alagoas. Deu certo. Uniu adversários municipais e "Renanzinho" saiu vencedor ainda no primeiro turno.

Renan Filho ainda continua na mesma batuta, no fim de semana (16) compareceu a cidade de Junqueiro para a Festa do Agricultor, circulou muito à vontade entre os políticos da família Pereira e Tavares, que são historicamente adversários, e eventuais para o pleito de 2016. (Ainda especula-se uma aliança entre as famílias, mas isso é assunto para outros post's.)

Já em Arapiraca, o neo-deputado Tarcísio Freire, recebeu a garantia do presidente do PSD, Gilberto Kassab, que apoiará a sua candidatura para prefeito da cidade do agreste. Tarcísio Freire já está contemplado com a Ciretran de Arapiraca, acordado com o Governador Renan Filho, o que fortalece sua musculatura política, principalmente visando 2016. Quem não deve ter gostado muito foi a prefeita de Arapiraca, Célia Rocha, natural candidata à reeleição e que espera ser apoiada pelo Governador, a quem apoiou em 2014.

Ainda na campanha do ano passado, em Rio Largo, dos cinco candidatos a prefeito de 2012, Renan Filho uniu três deles, sem contar os tradicionais caciques da cidade que não disputaram a eleição, que o apoiaram fielmente na campanha vitoriosa que o fez governador de Alagoas.

O xadrez político é complexo e o quadro que se forma é ainda mais. Para o ano que vem, cada candidato que apoiou Renan Filho esperará ter o apoio retribuído, ou que no mínimo o governador se abstenha de comparecer ao palanque do adversário. Entretanto a meta de sempre na política é somar o maior número de aliados eleitos, e que só pelo fato do governador ter unido gregos e troianos pelos municípios, certamente não o deixará neutro nas eleições do ano que vem.

Estou no Twitter: @vanildoneto
                              @BlogPoliticaAL


Nenhum comentário:

Postar um comentário