terça-feira, 16 de setembro de 2014

QUANDO ALAGOAS IRÁ SE EMANCIPAR?

Foto: Alexandre Fleming
O período eleitoral deixa a data de emancipação política de Alagoas com um sentimento ainda maior do que o comum, junto de uma grande dúvida: Será que realmente se emancipar de Pernambuco foi bom para nós? Lá vamos para mais uma “comemoração” sem ter o que comemorar, mais um ano que lamentamos os descasos, a violência, os escândalos, a falta de pudor e a impunidade. No geral aquele grande circo do palhaço sem graça.

A campanha eleitoral que escolherá o futuro Governador de Alagoas segue cada vez mais pueril, ataques e mais ataques que só nos dá a certeza que escolheremos o menos pior. A falta de uma terceira via que realmente se apresente como novidade dos velhos grupos de sempre, me faz lamentar de agora o futuro de nós alagoanos.

Alagoas por sua vez segue seu desenvolvimento, como bem canta Lulu Santos, “com passos de formiga e sem vontade”. Sem vontade política primeiramente, o Estaleiro, por exemplo, empacou e aparece só de quatro em quatro anos, com as mesmas promessas, como os mesmos rostos.  Estamos deixando Alagoas para as mesmas pessoas que nunca resolveram nada de verdade, que são eleitos apenas com seus sobrenomes santificados prometendo para nunca cumprir, seus eleitores coniventes acham que isso é política, que tapinha nas costas e todas aquelas peculiaridades que já são clichês eleitorais e que nunca mudam é fazer política, é ser o novo, que é a mudança e que resolve.

E assim Alagoas vai para mais uma comemoração, o clima da campanha é o mais baixo e obscuro dos últimos tempos, o debate se resume a isso e mais nada. Alagoas, berço do proclamador da República vive ainda à margem do Brasil, o menor Estado da Federação e que tem os piores índices em tudo.

Precisamos de mudança e infelizmente não acredito que venha nos próximos quatros anos, mas espero, de verdade, que eu esteja enganado. O tempo dirá.


Nenhum comentário:

Postar um comentário