quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O QUE FALTA NO BRASIL É A FISCALIZAÇÃO "PADRÃO FIFA"


O termo "Padrão FIFA" ganhou contornos pejorativos ao tentar passar uma imagem para o mundo de um Brasil que não existe. Diante de tantas dificuldades e problemas que tentamos jogar para debaixo do tapete, eis que temos os monumentais estádios de futebol quase todos prontos, que serão palcos de momentos deslumbrantes de um Brasil "País do futebol".

Antes que venham alguns questionamentos devo informar que não acredito nesse movimento do #NãoVaiTerCopa, claro que vai ter Copa sim, seria até uma grande burrice se agora, do nada, se conseguisse evitar a Copa do Mundo. Se isso não fosse prioridade, deveria ter sido protestado lá em 2007, quando o ex-Presidento, ops, ex-Presidente Lula foi buscar o evento para o Brasil.

Ficou escancarado que, sim, o Brasil tem condições de dar uma vida mais digna aos brasileiros, e que sim, tem muito dinheiro pra isso. Os estádios estão aí para não me deixar mentir.

O que o Brasil não está acostumado é com a  rigorosa fiscalização que a FIFA vem fazendo para que de fato o evento venha acontecer sem nenhuma surpresa (desagradável para alguns, agradável para outros). 

Perceberam a pressão que o Senhor Jérôme Valcke  (Secretário-Geral da FIFA) faz em cima do Governo Brasileiro, cobrando que os prazos sejam devidamente cumpridos nas entregas dos estádios? E mesmo assim não consegue que saia como o planejado e suas declarações polêmicas fazem com quê o clima consiga piorar. E o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, consegue endossar a fama do país do jeitinho ao falar que os estádios são como as noivas para justificar o atraso nas obras. É o famoso jeitinho brasileiro de levar as coisas.

É isso que podemos e devemos aprender com a FIFA. Uma efetiva fiscalização e que se cumpra o prometido.

Por exemplo, uma verba para a construção de uma escola no interiozão do Pará. Quem fiscaliza de FATO se a obra está sendo cumprida?

Em Salvador-BA tem um metrô que tá pra sair faz 12 anos. Meu amigo, eu falei 12 anos. Já pensou um Jérôme Valcke  fiscalizando isso? O cara já tinha surtado.


Não precisamos ir muito longe. Desde quando me entendo por gente ouço falar no Canal do Sertão aqui em Alagoas, que vai salvar milhares de sertanejos da seca, que vai fazer e acontecer. Já se vão 20 anos e nada. Quem tá fiscalizando os prazos?

Pois então, o Brasil precisa aprender com a FIFA, é isso mesmo, aprender com a FIFA. Fiscalizar, cobrar e cumprir os prazos estipulados. Colocar um "Jérôme Valcke" em cada obra, em cada canto onde tem dinheiro público no meio e que se cobre dele e que ele cobre de quem tem que fazer.

Talvez eu esteja sendo utópico demais, eu sei. Sei também que a FIFA não é nenhum exemplo de moral para alguma coisa, ela visa apenas seus lucros. Mas escolas, hospitais ou qualquer outra obra não é lucro para o Governo Brasileiro? Tem quem discorde (até no próprio governo), mas eu acredito que é sim. Pelo menos deveria ser.


Então que adotemos o "Padrão FIFA" de fiscalização! 

Acredito que com isso o desperdício com o erário possa diminuir, uma pena que isso não seja prioridade e nem faça parte da cultura do brasileiro de como se enxerga o gasto nem a máquina pública.

Um dia, quem sabe.

Estou no Twitter: @vanildoneto
                               @BlogPoliticaAL

Um comentário: