terça-feira, 10 de setembro de 2013

SEGURANÇA PÚBLICA: FALTA AÇÃO E SENSAÇÃO

Já virou um clichê comentários de descontentamento com segurança pública de Alagoas, nunca foi tão pavoroso sair nas ruas como nos últimos tempos, a violência não têm mais hora nem local, falo isso com conhecimento de causa, de vivenciar o dia-dia e ver corriqueiramente a violência desenfreada, principalmente na capital Maceió. O cidadão não consegue entrar tranquilo nem numa simples padaria sem achar que vai ser assaltado, todos ali a sua volta são possíveis marginais estereotipados ou pessoas comuns travestidos de idoneidade.

Carro do meu vizinho após tentativa de assalto

Falo tudo isso sem nenhum viés político-partidário, longe disso, o problema é muito mais grave e complexo apesar do assunto está diretamente ligado, obviamente devendo ser cobrado do Secretário de Segurança Pública, Coronel Dário Cesar e principalmente do Governador do Estado, Teotônio Vilela Filho.

É aterrorizante abrir os sites de notícias, é violência de todas as formas. O mês de agosto me deu a sensação de ter sido um dos mais violentos de Maceió, dos últimos anos.

Alguns dirão que o problema em si não é de agora desse governo, digo que não é mesmo, mas a crescente e o descontrole da (in)segurança pública do Estado é a maior já vista, ações precisam ser feitas, menos demagogia e discursos, menos lamentações e mais prática, mais prevenção. Alagoas sempre foi um dos Estados mais violentos do Brasil, entretanto isso não é respaldo para o caos atual.

Já falei em outros post’s neste blog sobre a Segurança Pública do Estado, nunca de forma positiva infelizmente, o assunto já ficou repetitivo, o Governador e o Secretário de Segurança de fato vêm perdendo a briga contra a violência. Estão perdidos no meio de campo. O pior é não ver nada de concreto sendo feito. Gastos absurdos com aluguel de helicópteros...

Para quê? Para quem? 

Tem que haver mais eficiência nas ações, não voar por voar, apenas para dar impressão de segurança. O efetivo policial é irrisório para uma atuação de verdade, não acho absurdo se um dia constatarem que têm mais policiais lotados em gabinetes do que nas ruas, onde eles são imprescindíveis. Sem contar que após serem presos, os marginais em sua maioria já voltam para as ruas através das brechas que a lei permite.

Eu quanto cidadão infelizmente não tenho expectativa nenhuma de melhora com relação à segurança, as estatísticas não me bastam quando sinto na pele tudo ao contrário.

Como bem disse certa vez o Secretário Dário Cesar: “A segurança é feita de ação e sensação”. 

O que talvez o secretário não queira acreditar é que está cada dia pior e insuportável viver em Alagoas. Ninguém sobrevive de estatísticas.

Aonde vamos parar?

Alagoas se entregou a violência, infelizmente virou algo banal, estão todos conformados com isso e salve-se quem puder. 

Estou no Twitter: @vanildoneto
                               @BlogPoliticaAL

2 comentários:

  1. Nobre amigo, posso dizer com certeza que você conseguiu descrever de forma sucinta o sentimento do povo Alagoano. Por mais que se possa ver ou "sentir" ações da policia, o sentimento é de total insegurança. A sua descrição da "padaria" é totalmente verdadeira. Acho que ninguém em seu juízo perfeito contestará tal postagem. Parabéns pelo texto e por neste momento representar tão bem o sentimento de todos nós, alagoanos.

    ResponderExcluir