sexta-feira, 26 de outubro de 2012

PORQUE TEMOS TANTOS CASOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA?




Alagoas acostumou-se em afastar gestores públicos, principalmente quando se trata da tão famosa IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA.

Mas o que é a Improbidade Administrativa?  

No tocante é a prática de qualquer ação ou omissão, dolosa ou culposa, que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições públicas. A abrangência é muito além disso, mas isso basta para entendermos a essência da coisa.

A improbidade passa muito pela má fé e falta de honradez daquele que foi "escolhido" para tratar a coisa pública como se deve, por isso a importância de escolher bem antes de votar em determinado candidato, pois não é a toa a palavra GESTOR público. Ela quer dizer que, o gestor administra o meu, o seu e o dinheiro de todos os contribuintes de determinada Cidade , Estado ou País.

Mas muitas vezes aquele candidato não tem a capacidade de administrar, não tem o conhecimento que lhe é imprescindível para tratar com as demandas de cunho administrativo da magnitude de uma cidade por exemplo. Ser prefeito é como ser um administrador de uma empresa, onde ter o conhecimento técnico é fundamental para a ocupação de tal função.

O que vemos corriqueiramente e principalmente em Alagoas são prefeitos afastados por causa da tal improbidade, dando o lugar para seu vice comandar os rumos. Maribondo sofreu com isso recentemente e Rio Largo já sofre com a mesma ação pelo menos com os últimos três prefeitos e que ainda não se sabe quem assume agora em janeiro. Já na Barra de São Miguel, o negócio tava tão feio que nem o vice quis assumir a baderna que se encontrava por lá.

A falta de compromisso ou até mesmo de conhecimento por parte de quem elege ainda fará que esses casos se repitam, até que  tenham consciência que o GESTOR público não pode ser o mais simpático, ou o abraço mais forte, mas sim aquele que tenha comprovada competência para assumir tamanha responsabilidade. 

O que infelizmente ainda não é da cultura do brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário