sábado, 11 de junho de 2011

Silvio Santos - Comunicador, Empreendedor e Político

Fugindo um pouco (só um pouco) dos temas diários deste blog, falaremos de uma figura  impar, com seus trejeitos e sua forma única de se expressar. Esse é Senor Abravanel vulgo Silvio Santos.



Comunicador:
É indiscutível o carisma que Silvio Santos possui, sua forma já tradicional e muito irreverente de apresentar seus programas deixa mais nítido o por que dos programas apresentados por ele sempre deixarem o SBT com sua audiência consideravelmente boa para o horário que é transmitido (Domingo a noite).

Espelho para muitos apresentadores das novas gerações, Silvio Santos consegue-se manter como sempre foi desde o começo de sua carreira, com o mesmo entusiasmo como se fosse um iniciante. Jigles de mais de 20 anos continuam fazendo parte e o maior sucesso em seus programas. (Quem nunca cantou: Silvio Santos vem ai, ole, ole, olá ♪) 
Após vários problemas com a Rede Globo, emissora que exibia seu programa pago pelo próprio apresentador, Silvio Santos decidiu abandonar a emissora quando o então presidente da Globo - Roberto Marinho colocara uma cláusula de que Silvio não poderia ser acionista ou dono de nenhuma outra emissora de televisão.

Empreendedor:
Das várias qualidades de Silvio Santos, uma que é também muito admirada é sua capacidade empreendedora, não se conteve em apenas abrir sua própria emissora, conseguiu diversificar seus negócios em vários segmentos, seu nome: Grupo Silvio Santos - Constituído por 44 empresas, com onze mil funcionários,  incluindo entre as mais conhecidas, o Baú da Felicidade, a rede de lojas do Baú, a Liderança Capitalização (que opera a Tele-Sena), o Hotel Jequitimar, a Jequiti Cosméticos. Também fazia parte de seu Portfólio o Banco PanAmericano que após o escândalo do ano passado envolvendo um rombo de mais de 2,5 bilhões de reais foi vendido ao BTG Pactual , por R$ 450 milhões. Recetemente anunciou também a venda das Lojas do Báu numa tentativa de reestruturar os negócios após o escândalo envolvendo o citado banco.

Político: 
Se você esperava tudo de Silvio Santos menos que ele tentasse ser político se enganou. Silvio em 1988 propôs sua candidatura a prefeito de São Paulo. Considerando seus recentes problemas de saúde, Silvio anunciou sua intenção como forma de retribuir à sociedade todas as suas conquistas como apresentador e homem de negócios. O anúncio foi feito durante um dos quadros do Programa Silvio Santos; o episódio foi amplamente divulgado pela imprensa. A candidatura, contudo, não se concretizou.

Uma ano depois em 1989 foi muito mais além anunciando sua candidatura a Presidente da República, entrando como candidato com a campanha já em andamento por um pequeno partido, e  surpreendam-se vocês, postando medo no então Jovem Alagoano também candidato a presidência Fernando Collor, o fazendo e conversar com Silvio se ele iria se candidato ou não, para que Collor pudesse ter a certeza que valeria a pena renunciar o Governo de Alagoas. A alguns dias da eleição, Silvio Santos teve seu registro de candidatura impugnado pelo Tribunal Superior Eleitoral, por irregularidades no registro do PMB. Silvio filiou-se ao PFL e ensaiou participar de outras eleições, mas as brigas entre grupos políticos e os acordos e negociações inerentes à política fizeram Silvio continuar cuidando exclusivamente de seus negócios.  

Me ponho a pensar, caso Silvio Santos tivesse sido eleito, não teriamos o impeachment de Collor que tanto envergonha nós alagoanos, também como seria esse governo do "Homem do Baú"?  Coisas do Folclore da política Brasileira.



Um comentário:

  1. SS é um exemplo de pessoa. Começa e termina sorrindo! Ele sempre sorriu. Até no sequestro da filha, em 2001, ele sorria... será esse o segredo?
    Altos e baixos vêm e vão, mas quedas já não faz mais parte do cotidiano do Silvão! O banco foi apenas um item dos diversos negócios da "praça" dele... Vc como administrador deve saber do que estou falando.
    Sempre soube arriscar, porém, com uma bela humildade, soube recuar qndo viu o "piso frágil" da política ameaçando seu nome. Talvez hoje o "Homem do Baú" não fosse tão admirado se naquele ano, em vez de F Collor, fosse Silvio Santos, o eleito.

    Valeu por corresponder ao pedido, Vanildo!

    ResponderExcluir