quinta-feira, 16 de junho de 2011

Seria trágico, se não fosse cômico!

 “A gaiola dos loucos”



Como não comentar um fato impressionante, recheado de mau humor e ignorância. Dia 07/06/11, participei de uma audiência no forum de Paripueira- AL, onde representei um banco na qualidade de preposta do mesmo, até aí estava tudo como de costume, nada de diferente.

De cara tivemos que esperar a boa vontade do excelentíssimo juiz daquela comarca que chegou com mais de 2 horas de atraso, mas isso não é uma particularidade dele, então, ao entrarmos na sala de audiência não vimos nada de anormal, até que levamos um susto, o primeiro grito do juiz que estava furioso, que desabafou ou queria aparecer, começou suas lamúrias, pois tinha voltado de férias e tinha muitos processos em sua mesa e a culpa disso seria da juíza substituta, que segundo ele atrapalhou sua vida, fez tudo errado. Incomodei-me, pois não temos nada a ver com funcionamento do forum, muito menos quem fez certo ou errado seu serviço, estávamos ali para resolução de um problema, não para escutar mais um e que não era nosso.

Achou pouco? Ainda tem...
O juiz se dirigiu a mim e ao advogado que estava acompanhando e perguntou qual dos dois era o advogado, prontamente ele levantou a mão, o juiz perguntou se ele estava com a OAB e o advogado respondeu: “é claro”. Não sei o que se passou naquela sala, pois foi ridículo, o juiz não gostou da resposta e logo se irritou, mas aquela reposta foi o reflexo da forma que o juiz estava tratando-o, pois o mesmo não solicitou a OAB do advogado da outra parte, se é um procedimento todos deveriam ser tratados com igualdade. Sem contar que ao dar a palavra aos advogados, ele escutou um e antes que o outro começasse o excelentíssimo já disse: “ele fala o que quiser, mas eu não sou obrigado a escutar”, tenho certeza que isso não é postura de um juiz ou de qualquer pessoa com mínimo de educação, e como se não bastasse queria ensinar o mesmo a fazer seu trabalho.

Daí veio alguns questionamento: Ele duvidou do advogado, pois ele tem pouca idade, logo se remete a idéia de pouca experiência? ; Se irritou por que ele foi o único que o tratou com a mesma rispidez que ele estava tratando a todos da sala? Ou simplesmente aquele é seu estado de espírito natural?  Seja qual for a resposta, merecem tratamento educação e gentileza aqueles que tratam os demais da mesma forma, o excelentíssimo juiz deveria ser um exemplo.

Desacato a autoridade e ao servidor público no exercício de sua função é crime, mas eles nos desacatam diariamente e nada acontece, temos que baixar a cabeça e nos submetermos aos caprichos e desmandos dos mesmos. Isso revolta e da muita vergonha.

Insanidade, falta de ética, nada de educação e imparcialidade “zero”. Isso foi um pouco do que vimos, outros detalhes não merecem ser comentados, apenas fica o alerta... São esses os representantes da nossa lei e onde vamos parar com isso? Problemas todos nós temos, então cada um que resolva o seu.
Não vou citar o nome do excelentíssimo juiz, pois não me interessei em saber, nem vale à pena e dos demais prefiro preservá-los. Não podia deixar de exaltar os funcionários daquele lugar, pois aturar o dito cujo é uma missão árdua, a não ser que aquilo tenha sido apenas um chilique.

Obs: A cada dia me decepciono mais com as injustiças brasileiras e a impunidade alagoana e espero não ter que voltar aquele forum, pois será um desprazer.

Texto: Amanda Pedrosa
Twitter: @AmandacPedrosa

3 comentários:

  1. Um ótimo texto e tema. Parabéns Amanda!!

    ResponderExcluir
  2. Muitooooo Obrigado!!!
    kkkkkkkkk, mas esse dia foi tenso.
    É muito bom escrever, principalmente quando algo te faz refletir ou apenas te irrita..
    Se você abrir mais espaços, logo terão novos textos..
    bjoooo

    ResponderExcluir
  3. Esse lentíssimo juiz tava de brincadeira

    ResponderExcluir