sexta-feira, 24 de junho de 2011

O Cartel dos Flanelinhas



É sabido por todos que temos o total direito de ir e vir para onde quisermos, pena que essa regra não vale quando queremos parar, mais precisamente estacionar. Não é de hoje que vemos ações de pessoas se aproveitando de certas ocasiões para ganhar dinheiro, e diga-se de passagem um bom dinheiro. 

Quando se tem um lugar organizado, padronizado, com total segurança tudo bem você pagar um pouco a mais para garantir não só a integridade do seu carro, mas também a sua na hora de ir para casa, mas chegarmos o ponto de pagar valores absurdos para parar  seu carro na rua que é pública? Ai é um pouco demais. Não digo nada pagar algo como uma contribuição, sem nenhum valor estipulado, o que você acha justo pagar, mas daí impor uma quantia dizendo que é esse preço e acabou, acho que as autoridades "competentes" já deveriam ter tomado alguma providência.

Eles estão por toda parte, no centro da cidade, nas esquinas de ruas movimentadas e até em estacionamento de supermercados onde a entrada é gratuita e acaba sendo cobrada indevidamente. Mas são em grandes eventos que eles realmente querem extorqui, pois sabem do grande movimento que acontecerá e cobram valores que de acordo que eles é de total direito e legalidade. 

O Jornal Hoje mostrou uma reportagem sobre o jogo do Santos na final da Copa Libertadores, flanelinhas cobrando até R$100,00 para seu carro ficar estacionado na rua (pública) até a hora da sua volta. Um absurdo! A polícia informou que só é caracterizado o crime se os flanelinas estiverem cometendo delitos, como extorsão de dinheiro,  roubo e constrangimento ilegal. Pois como é que os policiais acham que o motorista se sente? Algo diferente do que falei até agora? 

Coincidentemente em Maceió aconteceu um caso que posso considerar sobre o mesmo tema. Dois carros, que estavam estacionados numa rua onde funcionam bares no Conjunto Stella Maris foram incendiados. A suspeita do Corpo de Bombeiros é de que o incêndio tenha sido criminoso. Os flanelinhas da região afirmaram não ter visto como o fogo começou.  Mas no final da noite vão querer receber a sua "ajuda" (se já não tiverem recebido antes). Ninguém me tira da cabeça que eles possam está envolvidos nisso.

Acho que as autoridades deveriam combater mais enérgicamente com relação a esse assunto, pois se vierem fazer vistas grossas infelizmente essa prática continuará acontecendo com mais gravidade. Até onde vamos?

2 comentários:

  1. Muito bom o texto!! Com certeza muitos dos seus leitores têm diversas histórias constrangedoras, ou até amedrontadoras, de contato com os flanelinhas pelas ruas de nossa cidade! Importante este alerta! Parabéns pela iniciativa! O Problema é bem maior, de políticas públicas e de inclusão social! Isso aí! Valeu!!

    ResponderExcluir
  2. Essa é a realidade do nosso Estado," do Brasil" e enquanto o poder público não tomar iniciativa e as pessoas que pensam que estão ajudando não se conscientizarem, isso só irá piorar.
    Nós cidadãos comuns e de bem, estamos presos enquanto os bandidos estão soltos, sem querer generalizar, pois tem pessoas que só querem ajuda e não podemos culpa-las por isso...
    Todas as iniciativas são positivas, pois mostram que alguém está se incomodando, mas infelizmente isso só é um passo dentre muitos que ainda necessitamos dar.
    O Estado faz vista grossa pra tudo, os flanelinhas não são uma particularidade.
    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir