segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A Volta dos que não foram

A Assembléia Legislativa – AL (ALE),  juntamente com o Tribunal de Contas do Estado vem protagonizando um verdadeiro dilema.
Tem Deputado querendo virar conselheiro e assim dando brecha para que, um outro deputado, e esse sendo taturana (envolvido no desvio de mais de 300 milhões da ALE) assuma a presidência da Casa Tavares Bastos.
Quando a Policia Federal desencadeou a Operação Taturana, o atual vice presidente da ALE era o presidente do legislativo daquele ano. Foi afastado, mas não demorou muito para ele reassumir seu posto de deputado, e conseguiu se reeleger com bastante folga, diga-se de passagem. E olha só como é o destino, já é vice presidente podendo até voltar ao cargo que ocupava antes da polêmica operação da PF.
Para que isso ocorresse da forma correta, o Tribunal de Contas deveria nomear um auditor ou um procurador devidamente concursado (como há aprovados só esperando ser convocado) podendo ocupar perfeitamente  a vaga de conselheiro. Mas percebo que isso não é muito bem visto pelos “Poderosos Chefões” de ambas as casas.

3 comentários:

  1. Adoreiiiii a charge!!!Nem sei mais o que esperar da ALE, tudo pode acontecer. Mas, tenho o receio das minhas desconfiança se confirmarem, de não dar em nada e cair no esquecimento e arrumarem outra forma para administrar as falcatruas. Dentre tantas operações, poucas dão resultados e quando se concretizam, logo aparecem brechas na lei.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Vanildo, a maracutaia envolve a ALE e TC AL e não o TCU

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Roland.
    O erro já foi corrigido
    Valeu!

    ResponderExcluir