quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O Outro Lado da Moeda

Neste blog falo muito da atuação da política brasileira. Na maioria das vezes criticando certos políticos que no meu ponto de vista agem de má fé contra a legalidade da constituição e por obter um foro que os privilegia de sofrer intervenções da justiça, caso seja necessário. (Exemplos em Alagoas é que não faltam)

Mas essa semana observei uma "peculiaridade" da população, sim a população que tanto exige dignidade, honestidade e transparência.  Quem nunca ultra passou o limite de velocidade permitido na via? Ou estacionou na vaga de idoso ou deficiente no shopping, por ele está cheio? Quem nunca chamou uma pessoa idosa na sua casa para ir ao banco só para "furar" a fila de espera? Pois bem, passei por uma situação desse tipo na fila do banco essa semana.

Estava eu aguardando na fila, quando entra uma jovem de pouco mais de 23 anos aparentemente com boa saúde juntamente seu marido e uma criança no colo do mesmo. Ao adentrar no banco, ela se prontifica de segurar a criança simplesmente para poder usufruir da preferência que lhe é assistida por lei.

Só que ela não estava sozinha. Seu marido veio o caminho inteiro com a criança no colo, e ao entrar no banco ela põe a criança no braço, fez o que tinha que fazer e  não exitou na mesma hora em devolver a criança para o marido, na maior cara de pau do mundo.

Meu sentimento naquele momento foi de total desrespeito com todos que estavam naquela fila  esperando o seu momento para ser atendido.

É muito fácil chegar e apontar e chamar de corrupto um político, quando na realidade os próprios que exigem transparência etc e tal, são os primeiros a cometerem pequenas / graves infrações domésticas.


Só com respeito pode-se exigir respeito (Hugo Schlesinger)

Um comentário:

  1. Infelizmente a educação, bom senso e caráter são de berço... Provavelmente, toda a família dela age desta mesma forma, isso é uma consequência da falata de educação e de civilidade.
    Salve-se quem puder!!
    O ser humano é a pior erva daninha, destrói sem muitos esforços.
    Cabe a cada um fazer a sua parte, sem apontar os erros alheios, a não ser que tenham sido de entes públicos, que deveriam ser a voz da população...
    Muito pior que uma mãe aparentemente saudável, usando sua filha, para furar fila, são aquelas pessoas que levam idosos doentes ou usam a mesma criança para varias pessoas, como em consignação, tudo para se valer de uma vantagem...
    Assim é a grande maioria da população, não é nada fora do comum.

    ResponderExcluir